PARA GARIBALDI, CANDIDATO DO PDT DEVE EXPLICAÇÕES

O ministro da Previdência, Garibaldi Filho, reagiu às declarações do candidato do PDT à Prefeitura de Natal, Carlos Eduardo. Em entrevista coletiva na última quarta-feira, o candidato acusou o PMDB de fazer uma campanha de “baixaria” e afirmou que um dos patrocinadores desses ataques seria o ministro. Garibaldi Filho negou que a campanha de Hermano Morais (PMDB) use expedientes ilegítimos ou faça acusações inadequadas. Segundo ele, o que há são fatos políticos e administrativos que precisam de explicação do candidato Carlos Eduardo. “Não existe essa baixaria. O que tem são fatos apontados e cabe a ele (Carlos Eduardo) esclarecer e não a mim julgar. Quem julga, é o eleitor”, disse Garibaldi Filho. Sobre a frase de Carlos Eduardo afirmando que “Garibaldi depois de velho ficou radical”, o ministro respondeu: “Não concordo com ele ao me chamar de velho. Não tenho nada contra velhice, mas quanto mais ela demorar, melhor. Quando me chamam de velho, fico contrariado”.
Ainda sobre as críticas que recebeu do pedetista, o ministro avaliar que Carlos Eduardo “deve estar intranquilo”. “Ele está perdendo o foco; o candidato não sou eu, é Hermano”, destacou o ministro.
Sobre a afirmação do candidato do PDT de que estaria sendo radical, Garibaldi Filho afirmou discordar. “Acho que ele (Carlos Eduardo) não tem razão. Passei a vida inteira não sendo. Agora eu não iria desmentir a minha vida. Atravessei momentos turbulentos na vida política do Estado. Fui líder do PMDB na Assembleia no período do regime militar. Eu me considero um dos herdeiros de Aluízio Alves, mas se Carlos Eduardo diz que sou radical, vou terminar sendo herdeiro de Dinarte Mariz”, ironizou Garibaldi Filho.
Ele disse que não está preocupado com o acirramento que a campanha eleitoral de Natal ganhou nos últimos dias. Para o ministro, o fato “é natural”
Fonte: Tribuna do Norte

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *