EMPRESA DE EIKE BATISTA COMPRA EÓLICAS NO RN

Comunicado da empresa ao mercado aponta que foi firmado contrato para a aquisição dos Complexos Eólicos Jandaíra, Pedra Preta I e Pedra Preta II, que em conjunto formam o “Projeto Ventos” e tem capacidade total de 600 Megawatts (MW).
O preço da aquisição é de R$ 37 mil Megawatts (MW) instalado, o equivalente a um valor total de R$ 22,2 milhões. Além disso, está previsto o pagamento de royalties de R$ 1,3 por MWh comercializado, sendo o limite máximo de 20 anos.
O acordo também inclui a opção de aquisição de uma expansão dos Projetos, com capacidade adicional de 600 MW, atualmente em desenvolvimento, com dezoito meses de medição de vento concluída. Os mesmos termos de pagamento serão aplicados para a aquisição da expansão dos Projetos, caso a Companhia opte por exercer a opção, informou a MPX em nota. Mas a conclusão da transação está ainda sujeita, segundo a companhia, ao cumprimento de certas condições estabelecidas no Acordo e não detalhadas à imprensa.
PROJETOS
Os Projetos cuja aquisição foi anunciada ontem têm 158,7 MW registrados para participar dos leilões A-3 e A-5, previstos para outubro deste ano, segundo informações da Empresa de Pesquisa Energética (EPE). “O Projeto Ventos é diferenciado e está localizado em uma das áreas com maior potencial para a geração eólica no Brasil”, diz a MPX, em comunicado ao mercado.
Procurada pela reportagem, a empresa informou, por meio da assessoria de imprensa, que não poderia, no momento, fornecer mais detalhes sobre o negócio. A MPX não divulgou o nome dos ex-donos dos parques, em que fase estão os projetos nem em que municípios estão sendo ou serão instalados.
Em nota, detalhou apenas que a conexão do projeto com o sistema elétrico está a uma distância aproximada de 30 km e que todos os direitos fundiários necessários para a implantação dos parques eólicos, incluindo sua expansão, estão assegurados.
“Esta nova aquisição reforça o nosso compromisso com o desenvolvimento da geração a partir de fontes renováveis de energia”, disse Eduardo Karrer, CEO da MPX, em nota. “Com a vasta experiência da E.ON na geração eólica e a nossa experiência no mercado brasileiro, estamos confiantes no rápido desenvolvimento deste ativo. Com uma capacidade total esperada de 1.200 MW, o Projeto Ventos será um complexo eólico de escala industrial, altamente competitivo”, acrescentou ele. A empresa também não informou se há outros investimentos previstos para o Rio Grande do Norte.
SOBRE A MPX
A MPX Energia S.A., parte do Grupo EBX, do milionário brasileiro Eike Batista, é uma empresa de energia com negócios complementares em geração elétrica e exploração e produção de gás natural na América do Sul. A Companhia tem um portfólio de empreendimentos de geração térmica, que excede 14 GW. A joint venture com a E.ON AG foi consolidada em abril deste ano com o objetivo, segundo a empresa, de acelerar o crescimento e desenvolver, no Brasil e no Chile, um negócio de energia maior e mais rentável. À época, a MPX divulgou que iria captar cerca de R$ 1,063 bilhão através de um aumento de capital no qual a E.ON deverá investir, em última instância, aproximadamente R$ 850 milhões, para alcançar uma participação de 10% na MPX.

 Fonte: Tribuna do Norte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *